sábado, 3 de setembro de 2011

TRABALHANDO COM VERBOS

Dados da Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • analisar o emprego de verbos em textos conforme os critérios de adequação aos tempos, modos e flexões verbais;
  • observar e apropriar-se de certos aspectos da língua relacionados aos tempos verbais;
  • verificar, por meio de atividades propostas, a função semântico-estilística do verbo na construção do texto.
Duração das atividades
04 aulas de 50 minutos
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
  • Flexões verbais.
Estratégias e recursos da aula
  • utilização do laboratório de informática e sala de vídeo;
  • atividades realizadas em grupo ou duplas de alunos;
  • utilização de imagens, textos, anúncios e vídeos veiculados na internet.
Aula 01 (50 minutos)

Disponível em:
http://miriamtorres.blog.terra.com.br/2010/04/14/qual-o-seu-verbo/ 
O verbo é a base  da comunicação verbal, está diretamente relacionado à ação e à existência do homem no mundo. Compreender a representação dos verbos é fator muito importante para interpretar um texto, pois, é o significado dos verbos que faz com que outros termos se liguem a ele.
Atividade
I – Para retomar algumas características da estrutura dos verbos, o professor deverá reproduzir para os alunos a charge e os anúncios publicitários, apresentados, a seguir.
II – A seguir, o professor deverá solicitar aos alunos que realizem, em dupla, as atividades propostas.
A.

Disponível em:
http://aeuropanasnossasmaos.files.wordpress.com/2009/12/verbos-de-accao2.jpg 
1.  Separe os verbos do quadro conforme a conjugação a que pertencem: 1ª., 2ª. e 3ª.
2. Os verbos do quadro caracterizam-se semanticamente  como verbos de ação ou de estado?
B.

Disponível em:
http://3.bp.blogspot.com/_Ys_N2VCWEUU/TEh4qhRaI7I/AAAAAAAAAHk/0-555XlgybA/s1600/verbo+prenderx.jpg 
3.Verbos são palavras que podem  apresentar flexões de número, pessoa  modo e tempo. Identifique estas flexões, a partir  do  verbo prender, conjugado na charge, informando:
a.  Os pronomes que indicam a 1ª. pessoa.
b.Os pronomes que indicam a 2ª. pessoa.
c. Os pronomes que indicam a 3ª. pessoa.
d. O tempo e o modo.
4. O tempo presente expressa uma ação que está ocorrendo no momento da fala ou uma ação habitual. Qual desses casos se aplica ao verbo da charge? Explique.
5. Explique o humor presente na charge.
C.

Disponível em:
http://discutindoaredacao.files.wordpress.com/2010/12/errado2.jpg 
6. As formas nominais de um verbo derivam do tema (radical + vogal temática) acrescido das seguintes desinências:
- r para o infinitivo: cantar, trabalhar, viver, sair
 -ndo para o gerúndio: cantando, trabalhando, vivendo, saindo
- do para o particípio: cantado, trabalhado, vivido, saído
a.Identifique a forma nominal presente no anúncio das havaianas.
b. A linguagem dos anúncios publicitários geralmente se adapta ao perfil do público ao qual eles se destinam e ao suporte ou veículo em que eles são publicados.
A linguagem empregada no anúncio é formal ou informal? Comprove sua resposta com uma palavra do texto.
A que público se destina o anúncio?
D.

Disponível em:
http://tudibao.com.br/2010/05/estaremos-falando-de-gerundismo-a-praga-do-portugues.html 
Gerundismo é o uso exagerado do gerúndio, isto é,  emprega-se  o gerúndio sem necessidade em situações, por exemplo em que se deveria dizer ‘vou transferir’ ou ‘transferirei’ diz-se ‘vou estar transferindo’.
a. O anúncio acima, trata-se de uma divulgação de livros  do professor Pasquale Cipro Neto. Nesse caso, o gerúndio foi utilizado de maneira intencional? Justifique.
b. Reescreva a frase do anúncio, eliminando os gerúndios desnecessários.

Aula 02 (50 minutos)
Atividade
1. Nessa aula, o professor deverá fazer a correção das atividades, aproveitando para fornecer mais informações a respeito da estrutura verbal, a partir  dos exemplos retirados da charge e dos anúncios.
Observação: Caso considere necessário, o professor poderá disponibilizar gramáticas para os alunos para que  consultem sobre o tema, de acordo com orientações do professor.

Aula 03 (50 minutos)
Atividade 
I -. O professor deverá reproduzir para os alunos cópia  do conto “Disciplina do amor” de Lygia Fagundes Teles
A disciplina do amor – Lygia Fagundes Telles

Disponível em:
http://4.bp.blogspot.com/__cJzBT_GbRo/SZnqk8DlT0I/AAAAAAAAAss/fNQY0y4gz9s/s1600-h/cachorro_gd.jpg 
Foi na França, durante a Segunda Grande guerra: um jovem tinha um cachorro que todos os dias, pontualmente, ia esperá-lo voltar do trabalho. Postava-se na esquina, um pouco antes das seis da tarde. Assim que via o dono, ia correndo ao seu encontro e na maior alegria acompanhava-o com seu passinho saltitante de volta à casa. A vila inteira já conhecia o cachorro e as pessoas que passavam faziam-lhe festinhas e ele correspondia, chegava até a correr todo animado atrás dos mais íntimos, para logo voltar atento ao seu posto e ali ficar sentado até o momento em que seu dono apontava lá longe.
Mas eu avisei que o tempo era de guerra, o jovem foi convocado. Pensa que o cachorro deixou de esperá-lo? Continuou a ir diariamente até a esquina, fixo o olhar naquele único ponto, a orelha em pé, atenta ao menor ruído que pudesse indicar a presença do dono bem-amado. Assim que anoitecia, ele voltava para casa e levava sua vida normal de cachorro, até chegar o dia seguinte. Então, disciplinadamente, como se tivesse um relógio preso à pata, voltava ao posto de espera. O jovem morreu num bombardeio, mas no pequeno coração do cachorro não morreu a esperança. Quiseram prendê-lo, distraí-lo. Tudo em vão. Quando ia chegando aquela hora, ele disparava para o compromisso assumido, todos os dias.
Todos os dias, com o passar dos anos (a memória dos homens!) as pessoas foram se esquecendo do jovem soldado que não voltou. Casou-se a noiva com um  primo. Os familiares voltaram-se para outros familiares. Os amigos para outros amigos. Só o cachorro já velhíssimo (era jovem quando o jovem partiu) continuou a esperá-lo na sua esquina.
As pessoas estranhavam, mas quem esse cachorro está esperando?…Uma tarde (era inverno) ele lá ficou, o focinho voltado para aquela direção.
Disponível em:
http://desmontandotexto.blogspot.com/2009/09/disciplina-do-amor.html 


Disponível em:
http://www.releituras.com/lftelles_bio.asp 
  • Professor, ofereça a seus alunos a biografia de Lygia de A fagundes.
Quarta filha do casal Durval de Azevedo Fagundes e Maria do Rosário Silva Jardim de Moura, nasce na capital paulista, em 19 de abril de 1923, Lygia de Azevedo Fagundes, na rua Barão de Tatuí. Seu pai, advogado, exerceu os cargos de delegado e promotor público em diversas cidades do interior paulista (Sertãozinho, Apiaí, Descalvado, Areias e Itatinga), razão porque a escritora passa seus primeiros anos da infância mudando-se constantemente. Acostuma-se a ouvir histórias contadas pelas pajens e por outras crianças. Em pouco tempo, começa a criar seus próprios contos e, em 1931, já alfabetizada, escreve nas últimas páginas de seus cadernos escolares as histórias que irá contar nas rodas domésticas. Como ocorreu com todos nós, as primeiras narrativas que ouviu falavam de temas aterrorizantes, com mulas-sem-cabeça, lobisomens e tempestades. [...]  
Disponível em:
http://www.releituras.com/lftelles_bio.asp 
II – Após a leitura do texto, feita pelo professor, os alunos deverão responder as questões propostas, em dupla.
1.  O gênero conto é uma breve e simples narrativa, apresenta as seguintes características:  
- apenas uma célula dramática;
-  poucos personagens intervem na narrativa;
 -  cenário limitado, espaço restrito. -  espaço de tempo curto;
-  diálogos sugestivos que permitem mostrar os conflitos entre as personagens;
-  a ação é reduzida ao essencial, há um só conflito;
-  a narrativa é objetiva, por vezes, a descrição não aparece;
a. Identifique estas características presentes no conto lido ‘A disciplina do amor’.
b. Como se caracteriza o narrador desse conto? Comprove sua resposta com palavras do texto.
2. Explique o título do conto: Disciplina do amor.
3. Um fato passado pode ser referido de três maneiras distintas:
Pretérito perfeito: expressa uma ação ou um fato concluído no passado.
Pretérito imperfeito: expressa um fato ou uma ação habitual ou que  acontecia com freqüência no passado; pode também indicar uma ação que teve continuidade no passado.
Pretérito mais que perfeito: indica um fato que ocorreu no passado antes de outro fato também no passado.
a. Releia o texto e responda: qual o tempo verbal predominante?
4. Releia o primeiro parágrafo do texto:
Foi na França, durante a Segunda Grande guerra: um jovem tinha um cachorro que todos os dias, pontualmente, ia esperá-lo voltar do trabalho. Postava-se na esquina, um pouco antes das seis da tarde. Assim que via o dono, ia correndo ao seu encontro e na maior alegria acompanhava-o com seu passinho saltitante de volta à casa. A vila inteira já conhecia o cachorro e as pessoas que passavam faziam-lhe festinhas e ele correspondia, chegava até a correr todo animado atrás dos mais íntimos. Para logo voltar atento ao seu posto e ali ficar sentado até o momento em que seu dono apontava lá longe.
Justifique a predominância dos verbos no pretérito imperfeito do indicativo neste trecho.
4. Justifique o emprego do pretérito perfeito na passagem seguinte:
O jovem morreu num bombardeio, mas no pequeno coração do cachorro não morreu a esperança.
5. Em uma narrativa,  empregam-se verbos no pretérito perfeito  para representar situações passadas concluídas  e o pretérito imperfeito para se fazer descrições de ambientes e personagens, bem como de suas ações habituais.
Responda:
Qual desses tempos verbais é responsável pela progressão do texto? Justifique sua resposta.

2 comentários: